Cortar ou não Cortar Precocemente o Cordão Umbilical

28-05-2010 12:13

Nos últimos anos temos assistido uma intensa e agressiva campanha publicitária, por parte de empresas de criopreservação de células estaminais, que muitas vezes têm deixado pais e mães angustiados por não conseguirem pagar o preço exigido pelo serviço, em troca da promessa da resolução de futuros problemas graves de saúde do bebé que nasceu ou mesmo de outro membro da família. Actualmente parece estar activa a intenção de criar um banco público para este efeito, o que do ponto de vista científico e social pararece ser mais adequado, já que não há certeza de que um mesmo indivíduo doente possa beneficiar das suas células estaminais para a resolução do seu problema de saúde, pois o património genético é o mesmo, nem que a concervação a longo prazo do material seja eficaz.

No entanto, em ambos os casos é fundamental que a recolha das células estaminais (sangue pulsante do cordão umbilical) seja efectuada imediatamente após o parto.

Em oposição a esta acção, está a de retardar ao máximo o corte do cordão umbilical, que muitos pais já vêm optando para assegurarem que o precioso material (células estaminais) seja completamente transferido para o bebé recém-nascido, que assim poderá delas beneficiar no tempo presente.

A corroborar esta última postura, no último dia 24 de Maio, foi publicado pela Science Daily o resultado de diversos estudos científicamente controlados e revisões sistemáticas, que aponta para diversas vantagens do corte tardio do cordão umbilical, entre as quais:

  • Redução da incidencia de hemorragia intraventricular
  • Redução dos casos de septicemia
  • Redução da anemia
  • Diminuição da necessidade de transfusão sanguinea
  • Aumento da probabilidade do bebé receber todos os factores de coagulação
  • Transferencia completa de células estaminais para o bebé
  • Redução significativa do risco de insuficiencia respiratória
  • Redução do risco de doença pulmunar crónica
  • Redução do risco de apneia da prematuridade e retinopatia da prematuridade

 

Informação completa em http://www.sciencedaily.com/releases/2010/05/100524111728.htm

... para ler, pensar e decidir.

.